DOENÇA OCUPACIONAL. AUSÊNCIA DE NEXO CAUSAL.

DOENÇA OCUPACIONAL. AUSÊNCIA DE NEXO CAUSAL.

EMENTA DOENÇA OCUPACIONAL. AUSÊNCIA DE NEXO CAUSAL. Quando não comprovado o nexo causal entre as atividades exercidas pelo trabalhador e a enfermidade desencadeada, inexiste responsabilidade a ser atribuída à empresa e, consequentemente, indefere-se a condenação ao pagamento das indenizações pleiteadas.

(TRT da 4ª Região, 6ª Turma, 0020664-35.2018.5.04.0406 ROT, em 06/11/2019, Desembargadora Beatriz Renck – Relatora)

DOENÇA OCUPACIONAL. AUSÊNCIA DE NEXO CAUSAL.

DECISÃO NA INTEGRA CLIQUE AQUI

DOENÇA OCUPACIONAL. AUSÊNCIA DE NEXO CAUSAL.

EMENTA DOENÇA OCUPACIONAL. AUSÊNCIA DE NEXO CAUSAL. Quando não comprovado o nexo causal entre as atividades exercidas pelo trabalhador e a enfermidade desencadeada, inexiste responsabilidade a ser atribuída à empresa e, consequentemente, indefere-se a condenação ao pagamento das indenizações pleiteadas.

(TRT da 4ª Região, 6ª Turma, 0020664-35.2018.5.04.0406 ROT, em 06/11/2019, Desembargadora Beatriz Renck – Relatora)

DOENÇA OCUPACIONAL. AUSÊNCIA DE NEXO CAUSAL.

EMENTA DOENÇA OCUPACIONAL. AUSÊNCIA DE NEXO CAUSAL. Quando não comprovado o nexo causal entre as atividades exercidas pelo trabalhador e a enfermidade desencadeada, inexiste responsabilidade a ser atribuída à empresa e, consequentemente, indefere-se a condenação ao pagamento das indenizações pleiteadas.

(TRT da 4ª Região, 6ª Turma, 0020664-35.2018.5.04.0406 ROT, em 06/11/2019, Desembargadora Beatriz Renck – Relatora)

DOENÇA OCUPACIONAL. AUSÊNCIA DE NEXO CAUSAL.

EMENTA DOENÇA OCUPACIONAL. AUSÊNCIA DE NEXO CAUSAL. Quando não comprovado o nexo causal entre as atividades exercidas pelo trabalhador e a enfermidade desencadeada, inexiste responsabilidade a ser atribuída à empresa e, consequentemente, indefere-se a condenação ao pagamento das indenizações pleiteadas.

(TRT da 4ª Região, 6ª Turma, 0020664-35.2018.5.04.0406 ROT, em 06/11/2019, Desembargadora Beatriz Renck – Relatora)

Deixe uma resposta